sexta-feira, 21 de setembro de 2012

ACONTECEU COMIGO



Hoje um Garrincha, um pássaro bem pequenino, bateu violentamente no vidro da porta do corredor do meu prédio, no meu andar.
Foi minha filha quem me falou para eu ir ver, pois ela estava temerosa de que ele voasse e se machucasse mais. Fui. Eu me aproximei, fiquei pertinho dele, e ele não se mexia. Respirava com dificuldade e estava com o bico aberto.
Peguei um pano, coloquei sobre ele e ele nada.
Apanhei-o junto com o pano, com todo o carinho, levei-o para dentro de casa e pedi à minha filha que desse água para ele, ao que ela perguntou:
"Como vou dar de beber para esse pássaro?"
"Fácil", falei. "Derrame delicadamente no biquinho".
Assim ela fez. Ele engoliu a água e balançou a cabeça. Fechou por alguns segundos o bico e voltou a abri-lo. "Dê, novamente, a água". Ele bebeu e fechou o bico.
Levei-o, junto com o pano que o agasalhava, para a janela do meu quarto. Com bastante cuidado, coloquei-o em um vaso que está na janela, tirei de cima dele o pano que o aquecia, deixei o passarinho totalmente descoberto e fiquei passando, vagarosamente, o dedo em sua cabeça. Ele olhava para mim, fechava os olhinhos e ficava quietinho.
Por minutos infindáveis, ficamos os dois ali. Eu o acariciava e ele recebia, de bom grado, o carinho.
Fiquei olhando para aquele bichinho tão pequenininho, tão indefeso, e agradeci a Deus por ter sido eu a pegá-lo. Quem sabe o que faria uma criança se o encontrasse?
Fiquei ali, embevecida, acariciando-o, olhando o Garrincha que fechava os olhos como se fosse tirar uma soneca. Suas pálpebras desciam vagarosamente, permaneciam por alguns segundos baixadas e voltavam a abrir em câmera lenta!
"Descanse um pouco", eu lhe disse. "Quando recobrar suas forças, bata suas asinhas e volte para casa".
Num último gesto, passei novamente o dedo sobre sua cabeça. Ele fechou os olhos.
Saí, voltei para o meu computador.
Bem mais tarde, quando me lembrei do passarinho, fui até à janela. O pano estava vazio! Ele havia voado de volta para o lar!
Obrigada, SENHOR, por esse momento de total enlevo!


(Escrito por Edna Barreiros)

3 comentários:

  1. Olá Pr. Paulo!

    Lindo gesto de amor e carinho que á Edna nos passou. Nada acontece por acaso. Cabe a nós, refletir do porque as coisas nos acontece.

    Abraços e um otimo final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Jota! Isso nos leva a refletir mais sobre os valores da vida.
      Um grande abraço.

      Excluir
  2. Que lindo! Parabéns pelo gesto.

    Oli

    ResponderExcluir