domingo, 1 de setembro de 2019


CATIVEIRO



(ISAIAS 40.31) Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.

A águia é uma ave que ama a liberdade. Ela tem intimidade com as alturas.
·        Não vive em cativeiro.
·        Não vive em gaiolas.
·        Não sobrevive presa. Ela morre, mas não permanece cativa.
·        Ela não aceita outra condição para a sua vida além da liberdade.


Esse é um princípio que devemos ter. Pois, “Os que esperam no Senhor são como a águia”.

CRISTO PAGOU O PREÇO NA CRUZ PARA SERMOS LIVRES. Para a liberdade foi que Deus nos libertou (Gl 5.1 = Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão/do pecado).
·        
     Talvez o caro leitor não se sente livre neste momento. Talvez se sinta desanimado e sem forças para prosseguir. 

     Você pode receber a libertação agora mesmo. Jo 8.36 = Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. VOCÊ CRÊ? Já não há cadeias para os que estão em Cristo Jesus.

      QUERO DESTACAR 3 TIPOS DE CATIVEIROS que podem estar prendendo você:
      A Bíblia diz que o inimigo veio para roubar, matar e destruir.  O inimigo usa o cativeiro para roubar as principais fontes de vida que você deveria ter.

1ª FONTE DE VIDA que o inimigo tem roubado é a: Identidade. O inimigo te impede de se sentir como parte da família de Deus? Ele tem impedido você de entrar no Reino de Deus? Possa ser que você não se sinta como parte integrante do reino de Deus por causa disso.
·        
     Esse cativeiro vai ser quebrado hoje, no nome do Senhor Jesus. Porque Jesus veio para desfazer todas as obras do inimigo e colocar você em liberdade para entrar no Reino de Deus.

    2ª FONTE DE VIDA que o inimigo tem roubado é a: Unção. O inimigo usa o Cativeiro para roubar a unção que Jesus colocou sobre sua vida. Faz com que você pare de sentir a presença de Deus. Você perde a sua capacidade de cultuar livremente. Quando você tenta adorar, você se sente vazio e sem a emoção comovente, e sua mente se volta para os seus problemas. Aí então, você não consegue cantar, não consegue adorar, não consegue dar um glória a Deus. 
·        
    Esse cativeiro vai ser quebrado hoje, no nome do Senhor Jesus. E a UNÇÃO do Senhor Jesus vai ser derramada novamente sobre você, hoje.

    3ª FONTE DE VIDA que o inimigo tem roubado é a: VISÃO. O inimigo usa o cativeiro para levar embora seu sentido de propósito na vida.
·      
       Você se encontra vagando de um lado para o outro, tentando encontrar satisfação. Você acha que encontra, mas é tudo passageiro. Você não tem tido se quer uma meta de longo prazo. Você vive o hoje. Não consegue poupar para o futuro. Planeja, mas não vai adiante.
·       
     Com isso, você parou de usar seus talentos e agora não faz nada significativo, e suas tristezas se tornaram maiores do que seus objetivos.

    Chegou a hora de você DAR O SALTO PARA A LIBERDADE EM CRISTO, e se renovar, e receber de volta o que o Senhor Jesus preparou para você.

CONCLUSÃO

É necessário sair da Babilônia. Babilônia é lugar de desgosto. 
Decida que você não quer mais que o espírito de cativeiro permaneça em sua vida.Os filhos de Israel tiveram que tomar a decisão de sair do cativeiro e mudar seus hábitos. Eles mudaram os seus costumes.

Corra para os braços nosso Pai celeste agora. 
Quando você decide ver a Deus como seu Pai, todos os cativeiros que controlam a sua vida irão enfraquecer.

Então, CORRA AGORA PARA JESUS;
VENHA PARA OS BRAÇOS DO PAI CELESTE.
VENHA AGORA..............

EM CRISTO SOMOS LIVRES!!!!!!!

segunda-feira, 29 de julho de 2019


ESCOLHA ERRADA


Lc 10:38-42

E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa;   E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra.    Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só?    Dize-lhe que me ajude.   E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária;   E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.


O Senhor Jesus tinha o costume de sempre ir à cidadezinha chamada Betânia, porque havia lá uma casa aberta para Ele.

Como é bom estarmos com as portas da nossa casa sempre abertas para Jesus entrar! Nem sempre isso acontece, visto que, às vezes, costumamos fecha-la por causa dos nossos contratempos, conflitos e guerras.

Em Betânia moravam os amigos de Jesus: Lázaro, Marta e Maria. Nessa casa Jesus passou os últimos momentos de tranquilidade e paz de Sua vida.

Jesus chega em Betânia. Vamos imaginar Jesus chegando e se aproximando, e Marta correndo para abrir-lhe a porta da sala recebendo-o como hóspede em sua casa.

Marta apreciava muito a visita do Mestre e pra Ela sempre era uma honra recebe-lo.
Receber Jesus em sua casa foi uma atitude correta de Marta. O livro de hebreus diz que devemos ser hospitaleiros sempre, pois alguns, fazendo isso, hospedaram anjos (Hebreus 13:2). Marta hospedou o Filho de Deus, o Salvador!

Hoje, Jesus bate à porta da nossa casa e diz: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e cearei com ele e ele comigo” (Ap 3.20).

NA VIDA TEMOS QUE FAZER MUITAS ESCOLHAS.

E Marta fez uma escolha. Escolheu fazer tudo bem feito para oferecer a Jesus uma boa acolhida.

Ele era uma visita muito importante e merecia o melhor. Assim, ela se esforçou para oferecer a Ele um lugar aconchegante e limpo.

Enquanto preparava o ambiente, realizava o serviço pensando que Jesus merecia um lugar a altura de um rei. E trabalhou muito limpando tudo, varrendo, lavando as louças, etc. Assim foi surgindo outras coisas para fazer, e mais outra, e mais outra… a ponto de Marta começar a se incomodar por estar fazendo tudo sozinha.

Aquela Marta que recebera Jesus com alegria e empolgação, tentando caprichar para oferecer o melhor, agora começa a murmurar. O que parecia ser alegria, passou a ser fadiga. A escolha que Marta fez não foi uma escolha certa.

MARIA TAMBÉM FEZ UMA ESCOLHA

Enquanto Marta se acabava na limpeza da casa, Maria, sua irmã, preferiu assentar-se aos pés de Jesus.

Enquanto Marta resmungava, Maria ouvia os ensinos de Jesus. Maria preferiu beber cada gota da Água da Vida que jorravam das palavras do Mestre.

Maria sabia que o serviço doméstico era coisa de segundo plano, e ela não poderia perder a oportunidade de estar aos pés do Senhor Jesus e receber dele os seus ensinamentos.

COMO MARTA, MUITOS PERDEM GRANDES OPORTUNIDADES.   

Marta não podia saborear os ensinos de Jesus porque estava preocupada demais com os pormenores e coisas secundárias.  

Há certas coisas que molestam nossos corações, que os tornam pesados, cansados, duros, indiferentes e frios: "A preferência por coisas terrenas".

O que eu quero dizer é que os cuidados da vida quotidiana, o ter que fazê-lo, o "sobreviver" nesta vida, pode deixar seu coração pesado e sobrecarregado.

Se você está preocupado e ocupado demais com esses cuidados, e se todo o seu esforço é sobre como realizar isso ou aquilo hoje, não tendo tempo para estar com o Senhor Jesus, eu quero te dizer que o Senhor Jesus deixa claro que as preocupações com os cuidados deste mundo, os cuidados da vida, e a cobiça de outras coisas, são os inimigos da semente da Palavra de Deus.

Marcos 4:18, 19 = E outros são os que recebem a semente entre espinhos, os quais ouvem a palavra; Mas os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando e sufocam a palavra, e ela fica infrutífera.

Portanto, não podem existir em nosso coração os cuidados do mundo juntamente com a Palavra de Deus. A boa semente será sufocada e não prevalecerá. Um dos dois terá que sair. Ou é a boa semente, ou são os espinhos. Um ou outro. Os dois não caminham juntos.

Marta estava perdendo tempo com coisas semelhantes e de pouca importância, porque Marta ainda não compreendido que Cristo VEIO para SERVIR e não para ser servido;

Marta até então, não havia percebido que o interesse de Jesus não era a casa ou a aparência da casa, mas as pessoas que estavam dentro da casa.

Então, deixo aqui essa reflexão: Que não sejamos como Marta. Pois, ENQUANTO MARTA PERDIA, MARIA GANHAVA.

Foi o próprio Senhor Jesus quem disse à Marta: (Lucas 10:40-42)

“Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; Maria escolheu a boa parte e esta não lhe será tirada”.


Pense nisso.
Que o Senhor Jesus te abençoe.

Abraços.

Pr. Paulo Barreiros.

quinta-feira, 18 de julho de 2019


NÃO TENTARÁS O SENHOR TEU DEUS



Num 22:9-41


Na trajetória da vida cristã, o adversário e acusador não tendo do que nos acusar, sempre irá aprontar contra nós para ter com o que nos acusar. Muitas armadilhas para nos fazerem sair da presença de Deus serão preparadas. Precisamos tomar muito cuidado para não sermos amaldiçoados em vez de sermos abençoados.

BALAÃO TINHA CIÊNCIA DE SER UM PROFETA DE DEUS

Quando Balaão se encontrou com Balaque, ele lhe avisou que só poderia dizer aquilo que o Senhor colocasse em sua boca (Números 22:38). Esse é o proceder correto de um profeta de Deus.

Porém, quando os moabitas viram que o povo de Israel era numeroso e vitorioso, eles ficaram apavorados. Então Balaque, rei de Moabe, foi procurar Balaão.

Sempre que o inimigo pleitear uma peleja contra os filhos de Deus, irá procurar homens que se intitulam “homens de Deus” na intenção de usá-los para desviar as ovelhas do caminho. Podemos ver isso nas armadilhas encontradas nos movimentos neo pentecostalismo (rete-teté - a dança dos orixás na umbanda), teologia da prosperidade, alegação de que o dízimo é coisa da lei e não da graça, e etc.

Os moabitas fizeram uma aliança com os midianitas para fazer oposição a Israel (Números 22:7; 25:6-18; 31:1-12). Nessa aliança, Balaque enviou mensageiros a Balaão (profeta de Deus) para pedir-lhe ajuda.

Balaque sabia que Balaão era um profeta renomado, pois Balaque diz sobre ele: “[…] porque sei que a quem tu abençoares será abençoado, e a quem tu amaldiçoares será amaldiçoado” (Números 22:6).

Diante da proposta feita por Balaque, Balaão se vê tentado por ela. Balaão então pediu um prazo de uma noite para consultar o Senhor. Naquela noite Deus disse a ele que não amaldiçoasse Israel “porque é povo abençoado” (Números 22:12). 

Impressionante é que, mesmo diante da palavra recebida de Deus, pela manhã Balaão se levantou, preparou sua mula e partiu com os mensageiros de Moabe.

O coração de Balaão se tornou perverso diante de Deus, ou seja, ele partiu com intenções que desagradavam o Senhor. Então o Anjo do Senhor se colocou em seu caminho para impedi-lo.

O que ocorreu com esse profeta poderá ocorrer, e já tem ocorrido com muitos que se dizem homens de Deus, de perderem a visão de Deus. O profeta Balaão não conseguiu ver o Anjo do Senhor parado no caminho, mas a sua mula viu e se recusou a continuar (Números 22:21-27).

O profeta Balaão não conseguiu ver porque estava cego, por causa da oferta em ouro que receberia.

Todos que seguem pelo caminho de Balaão se tornarão cegos e terão um triste fim, como ocorreu com Balaão.

Após profetizar sobre Israel, Balaão se despediu de Balaque e retornou a sua terra. Mas depois ele reaparece peregrinando entre os midianitas. Os olhos de Balaão não se fecharam para a possibilidade de colocar as mãos nas ofertas oferecidas por Balaque. Foi então que ele os aconselhou a atraírem o povo de Israel para o culto pagão de Baal-Peor e a se prostituírem (Números 25; 31:16). 

Ele os aconselhou a preparem um culto pagão transfigurado em uma festa. Porém, seria apenas para atrair os israelitas para as armadilhas preparadas com muita bebida, orgias e depravação sexual.

Infelizmente, muitos jovens e homens santos se contaminaram com o culto pagão. Diante desse pecado do povo, Deus derramou o seu juízo e os pecadores foram eliminados da congregação de Israel. Deus também ordenou que Moisés afligisse os midianitas por causa do ocorrido (Números 25:16-18).

Mas o que aconteceu com o tal profeta Balaão? Ficou tranquilo na dele e foi para sua casa com o ouro na bolsa, como se nada tivesse acontecido? Claro que não. Ninguém zomba de Deus.

Na ocasião do juízo de Deus contra os pecadores, Balaão também foi morto juntamente com os reis midianitas (Números 31:8).

Triste fim o currículo de Balaão: "Morto em cumplicidade com os reis midianitas e pecadores".

Bem diz o conselho de Deus: "Não se detenha no caminho dos pecadores e nem se assente à roda dos escarnecedores".

PORTANTO, TENHA CUIDADO PARA NÃO SEGUIR VOCÊ TAMBÉM O CAMINHO DE BALAÃO.

Pense nisso.

Que o Senhor nosso Deus, em Cristo Jesus, te abençoe sempre.

(Pr Paulo Barreiros.)



terça-feira, 21 de maio de 2019



EM CIMA DO MURO


Que saudade dos tempos em que a igreja se apresentava de joelhos diante do Pai! Não se ouvia crianças gritando e correndo pelos corredores; pessoas conversando; instrumentos perturbando enquanto estão sendo afinados, sem querer mencionar aqueles que hipnotizados pelo poder do whatap, inertes como zumbis crentões, não pronunciam se quer um amém enquanto dois ou três tentam orar. E assim segue a presente geração cristã.

Esta geração perdeu a essência do evangelho, o brilho da glória, a unção do Espírito. Obreiros mudaram os bons costumes por libertinagens, a fé por misticismos, e sem temor do SENHOR se enveredaram pelo caminho de Balaão. O que brilha diante deles não é mais o fascínio pela Coroa da Vida, mas o outdoor e a glória da mídia.

A comunhão foi trocada por banquetes e o amor foi convergido em favor. Como já dizia nosso irmão Pedro – 2 Pe 2:17 = “Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva”.

É preciso sair de cima do muro. É preciso buscar a transformação de vida.

"A verdadeira transformação não é estar apenas nos cultos, e sim, envolto com a Glória de Deus. Não é ser impactado, mas transformado!" (2 Tm 3:18).

Um mentiroso impactado passa a mentir menos; mas um mentiroso TRANSFORMADO torna-se um amante da VERDADE.

Pense nisto!

O SENHOR te abençoe.

(Pr. Paulo Barreiros)


segunda-feira, 28 de janeiro de 2019


 PROSSIGO PARA O ALVO



“Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus”. (Hb 10:19)

Quando ainda jovem, aos 17 anos, eu estudei no Colégio Méier – Rio de Janeiro. Naquela época havia uma parceria do Colégio com a Universidade Gama Filho, a qual mantinha um trabalho social de atletismo. Nesse tempo eu pude participar dos treinos para iniciantes ao esporte de atletismo.

Enquanto lá estava pude observar que os treinos que mais exigiam esforço, dedicação e determinação era a corrida com obstáculos.

É muito interessante, porque no começo é um fôlego só. Os primeiros obstáculos são saltados até com elegância. Parecia que era uma corrida legal. Porém, eu não me via capacitado para pular aquelas barreiras que haviam no caminho. Eu escolhi apenas a corrida de cem metros sem obstáculos. rsrsrsrsrsr!!!

Hoje, pensando sobre isso, observo que no caminho da salvação não é diferente. Muitos obstáculos são colocados para nos qualificar como vitoriosos. O problema é que muitos cristãos olham para esses obstáculos como se fossem instrumentos do diabo para nos derrotar, então ficam clamando a Deus para que remova os obstáculos. Oração errada. Não recebe porque pedem mal; pedem para os seus bel prazeres. (Tiago 4:3)

Mesmo que as pernas dos atletas ficam pesadas, devido os esforços para saltar as diversas barreiras, eles continuam saltando. Às vezes eles passam a saltar meio desajustados, desequilibrados, parecendo carregar grande peso amarrado nas pernas. Mesmo assim, eles continuam,

Eles sabem que se tocarem nas barreiras perderão apenas na pontuação, mas não perderão a maratona. O cuidado que exercem é de não cair, nem desistir, mas ir até o final.

E a bíblia nos ensina sobre isso: “E, se alguém milita, não é coroado se não militar corretamente.” II Timóteo 02:05

O maior desafio de um atleta não é a pista de corrida. Ele já está acostumado com ela, devido percorrer quilômetros diariamente em treinamentos.

O maior desafio é a exaustão. A pessoa perde fôlego, sofrendo assim a fadiga do cansaço físico,

Além da exaustão, o atleta ainda sofre a pressão psicológica. Ele carrega sobre os ombros a responsabilidade de se superar e vencer. É nesse momento, que surge o melhor, é onde que nasce o campeão.

Aquele que quer vencer, não fica sonhando com o momento do início da partida. Ele sabe que o início tudo é muito fácil.

Aquele que quer vencer se prepara para o que é mais difícil. E o mais difícil é enfrentar as dificuldades. Então, ele se prepara para ter determinação e ousadia para não retroceder, não desanimar, não desistir, mas ir além e chegar lá.

O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE ISSO? “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. João 16:33

A vida cristã é uma verdadeira maratona. Todos os dias é posto em nosso caminhar empecilhos para nos fazerem desistir. Porém: “Olhando para Jesus, o autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus”.(Hb 12:2)


Como o atleta luta pelo seu objetivo, não podemos fazer diferente. Se almejamos alcançar a Coroa da Vida como vencedores, então precisamos olhar para o nosso alvo, tomar impulsos e saltar firme, e para frente.

“E todo aquele que luta, de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível,     nós, porém, uma incorruptível.”  (I Coríntios 09:25).

“Pois eu assim corro, não como coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar.”              (I Coríntios 09:26)

Pense nisso:

“NÃO TE PERMITAS DESISTIR. NÃO TE PERMITAS DESANIMAR”.


Um grande abraço.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018


ROMPENDO AS MURALHAS DA IMPERFEIÇÃO


Durante esses 36 anos de ministério, servindo como pastor, conheci centenas de pessoas que, por motivo de preguiça e falta de determinação, se esquivaram de suas responsabilidades como cidadãos do Reino Celestial, ora por um motivo físico, ora por questões de trabalharem muito e não possuírem tempo. Por isso, vêm deixando o tempo passar sobre suas cabeças.

Eu aprendi que, quanto ao tempo, nós podemos administrá-lo. Quanto a questões físicas, Deus nos qualifica em áreas que nos façam sobressair sem impedir nossa comunicação e cumprimento dos nossos deveres cristãos.

Conheci a história de CATHERINE MUMFORD (1829-1890), que muito me fez refletir sobre minha conduta e responsabilidades pessoais e espirituais.

Catherine Mumford nasceu em 1829 em Derbyshire, Inglaterra, em um lar metodista. Seu pai era um pregador leigo ocasional e construtor de carruagens; sua mãe era uma mulher devota, que, depois de o marido rejeitar a graça por causa do alcoolismo, teve uma vida solitária, tendo Catherine como seu único consolo.

Com exceção de um breve período em uma escola para meninas em Boston, Inglaterra, Catherine foi educada em casa. Sofrendo uma curvatura na coluna vertebral e, mais tarde, de tuberculose e angina. Catherine padeceu de dores a maior parte de sua vida.

Catherine teve uma juventude solitária e confinada. Na época em que tinha 12 anos já havia lido a Bíblia inteira cerca de oito (8) vezes. Aos 14 anos já dominava a Teologia Sistemática de Charles G. Finey, além de um grande volume de livros escritos por autores como: Butler, Fletcher, Wesley e outros que escreviam sobre santidade. Tais leituras influenciaram suas fortes mensagens sobre a perfeição cristã, as quais caracterizaram a motivação do Exército da Salvação para o serviço ao mundo. Seus folhetos sobre abstinência ao pecado, inicialmente escritos enquanto adolescente sob um pseudônimo, foram amplamente distribuídos por toda a Europa.

Os Mumfords se mudaram para Brixton, na parte sul de Londres, em 1844. Aos 22 anos ela conheceu William Booth, o qual recitou um poema sobre temperança, na casa de Edward, em 1851. Casaram-se em 1855, e Catherine Mumford passou a assinar como CATHERINE BOOTH. Tiveram 8 filhos, sendo que todos se envolveram no Exército da Salvação, e sete (7) deles foram líderes naquele ministério.

Catherine Booth viveu na atmosfera do avivamento, mergulhou sua vida na história do avivamento e é um exemplo clássico de uma pregadora do avivamento. Seus sermões inteligentes e compassivos, escritos, de início, para auxiliar seu esposo, eram cheios de paixão e falados com convicção, com uma unção que rompeu todas as barreiras, como a da capacidade de uma mulher, chamada por Deus, ter o direito de pregar publicamente o evangelho.

Em uma reunião com os primeiros líderes anarquistas britânicos que ousaram deixar que ela os confrontasse, Catherine escutou calmamente as propostas radicais deles a respeito de justiça social, e respondeu-lhes:

“Cavalheiros, os senhores e eu somos parecidos em muitas áreas. Os senhores odeiam a injustiça, e eu também. Os senhores estão preocupados com a pobreza, e eu também. Os senhores têm passado tempo na prisão por causa de suas crenças, eu também. Mas, cavalheiros, existe uma diferença entre os senhores e eu. OS SENHORES ESTÃO FALANDO, EU ESTOU AGINDO”.

terça-feira, 18 de setembro de 2018


DESVIADO ou DESGARRADO?




DESVIADO: Desinteressado
DESGARRADO: Afastado, sem rumo.


Geralmente o crente DESVIADO está dentro da igreja. É fácil de identifica-lo: Ele não produz fruto como os demais. Na empresa em que trabalha não se comporta como um verdadeiro cristão. Seu comportamento é semelhante ao mundano: se corrompe e se vende por pouca coisa, e é capaz de prejudicar alguém para defender algum cargo que ocupa ou que almeja.

Na igreja, o crente DESVIADO discorda de quase tudo. Se o programa da igreja não fluir de forma que venha lhe proporcionar algum benefício, então se aborrece e fala mal dos organizadores, das atividades apresentadas e não deixa suas críticas perniciosas de fora. Se a pregação passa 10 minutos do horário, então é motivo de murmuração. Nos projetos de evangelismo sempre fica de fora, os motivos são por que trabalha demais e não tem tempo pra essas coisas. Nas campanhas de oração, também fica de fora, por que não consegue orar se quer 20 minutos. Nas conversas paralelas nunca fica sem fazer alguma crítica a respeito de algum assunto relacionado aos ministérios da igreja em que congrega; critica a liderança, critica o pastor, critica o louvorista, critica o diácono, critica a limpeza da igreja; só não faz críticas de si mesmo. Quando toma conhecimento de que alguém da igreja não está bem, é ele quem fica perguntando a todos se o pastor já foi visitar tal pessoa. O crente DESVIADO é um grande empecilho para o crescimento da obra de Deus, ele é pedra no caminho.

O crente DESVIADO não suporta a mensagem que exorta à santificação e bons costumes.

Infelizmente, o crente DESVIADO é pior que o descrente. O crente DESVIADO pertence à classe das virgens LOUCAS.

O DESGARRADO é a ovelha que perdeu o brilho, caiu no desânimo afastando-se do rebanho. Geralmente, a causa disso é devido à falta de oração, a qual não a permite desenvolver raízes no evangelho de Cristo. A consequência disso será afastar-se do rebanho.

Esse afastamento se dá pelo motivo de ele achar que tem coisas mais importantes a fazer do que ficar se preocupando em desenvolver um bom relacionamento com o rebanho e viver a unidade com o corpo de Cristo, a Igreja. Aos poucos vai se desanimando, deixando assim de caminhar com o rebanho, tornando-se uma ovelha doente, fraca, perdida e ferida.

De quem é a culpa? Da igreja? Do pastor da igreja? da liderança da igreja?
Quem quer ser salvo deve lutar pela sua salvação e florescer onde está plantado.

A ordem divina é buscar a ovelha DESGARRADA.

DESVIADO ou DESGARRADO
Qual é o seu problema?


Pr Paulo Barreiros.