segunda-feira, 8 de outubro de 2018


ROMPENDO AS MURALHAS DA IMPERFEIÇÃO


Durante esses 36 anos de ministério, servindo como pastor, conheci centenas de pessoas que, por motivo de preguiça e falta de determinação, se esquivaram de suas responsabilidades como cidadãos do Reino Celestial, ora por um motivo físico, ora por questões de trabalharem muito e não possuírem tempo. Por isso, vêm deixando o tempo passar sobre suas cabeças.

Eu aprendi que, quanto ao tempo, nós podemos administrá-lo. Quanto a questões físicas, Deus nos qualifica em áreas que nos façam sobressair sem impedir nossa comunicação e cumprimento dos nossos deveres cristãos.

Conheci a história de CATHERINE MUMFORD (1829-1890), que muito me fez refletir sobre minha conduta e responsabilidades pessoais e espirituais.

Catherine Mumford nasceu em 1829 em Derbyshire, Inglaterra, em um lar metodista. Seu pai era um pregador leigo ocasional e construtor de carruagens; sua mãe era uma mulher devota, que, depois de o marido rejeitar a graça por causa do alcoolismo, teve uma vida solitária, tendo Catherine como seu único consolo.

Com exceção de um breve período em uma escola para meninas em Boston, Inglaterra, Catherine foi educada em casa. Sofrendo uma curvatura na coluna vertebral e, mais tarde, de tuberculose e angina. Catherine padeceu de dores a maior parte de sua vida.

Catherine teve uma juventude solitária e confinada. Na época em que tinha 12 anos já havia lido a Bíblia inteira cerca de oito (8) vezes. Aos 14 anos já dominava a Teologia Sistemática de Charles G. Finey, além de um grande volume de livros escritos por autores como: Butler, Fletcher, Wesley e outros que escreviam sobre santidade. Tais leituras influenciaram suas fortes mensagens sobre a perfeição cristã, as quais caracterizaram a motivação do Exército da Salvação para o serviço ao mundo. Seus folhetos sobre abstinência ao pecado, inicialmente escritos enquanto adolescente sob um pseudônimo, foram amplamente distribuídos por toda a Europa.

Os Mumfords se mudaram para Brixton, na parte sul de Londres, em 1844. Aos 22 anos ela conheceu William Booth, o qual recitou um poema sobre temperança, na casa de Edward, em 1851. Casaram-se em 1855, e Catherine Mumford passou a assinar como CATHERINE BOOTH. Tiveram 8 filhos, sendo que todos se envolveram no Exército da Salvação, e sete (7) deles foram líderes naquele ministério.

Catherine Booth viveu na atmosfera do avivamento, mergulhou sua vida na história do avivamento e é um exemplo clássico de uma pregadora do avivamento. Seus sermões inteligentes e compassivos, escritos, de início, para auxiliar seu esposo, eram cheios de paixão e falados com convicção, com uma unção que rompeu todas as barreiras, como a da capacidade de uma mulher, chamada por Deus, ter o direito de pregar publicamente o evangelho.

Em uma reunião com os primeiros líderes anarquistas britânicos que ousaram deixar que ela os confrontasse, Catherine escutou calmamente as propostas radicais deles a respeito de justiça social, e respondeu-lhes:

“Cavalheiros, os senhores e eu somos parecidos em muitas áreas. Os senhores odeiam a injustiça, e eu também. Os senhores estão preocupados com a pobreza, e eu também. Os senhores têm passado tempo na prisão por causa de suas crenças, eu também. Mas, cavalheiros, existe uma diferença entre os senhores e eu. OS SENHORES ESTÃO FALANDO, EU ESTOU AGINDO”.

terça-feira, 18 de setembro de 2018


DESVIADO ou DESGARRADO?




DESVIADO: Desinteressado
DESGARRADO: Afastado, sem rumo.


Geralmente o crente DESVIADO está dentro da igreja. É fácil de identifica-lo: Ele não produz fruto como os demais. Na empresa em que trabalha não se comporta como um verdadeiro cristão. Seu comportamento é semelhante ao mundano: se corrompe e se vende por pouca coisa, e é capaz de prejudicar alguém para defender algum cargo que ocupa ou que almeja.

Na igreja, o crente DESVIADO discorda de quase tudo. Se o programa da igreja não fluir de forma que venha lhe proporcionar algum benefício, então se aborrece e fala mal dos organizadores, das atividades apresentadas e não deixa suas críticas perniciosas de fora. Se a pregação passa 10 minutos do horário, então é motivo de murmuração. Nos projetos de evangelismo sempre fica de fora, os motivos são por que trabalha demais e não tem tempo pra essas coisas. Nas campanhas de oração, também fica de fora, por que não consegue orar se quer 20 minutos. Nas conversas paralelas nunca fica sem fazer alguma crítica a respeito de algum assunto relacionado aos ministérios da igreja em que congrega; critica a liderança, critica o pastor, critica o louvorista, critica o diácono, critica a limpeza da igreja; só não faz críticas de si mesmo. Quando toma conhecimento de que alguém da igreja não está bem, é ele quem fica perguntando a todos se o pastor já foi visitar tal pessoa. O crente DESVIADO é um grande empecilho para o crescimento da obra de Deus, ele é pedra no caminho.

O crente DESVIADO não suporta a mensagem que exorta à santificação e bons costumes.

Infelizmente, o crente DESVIADO é pior que o descrente. O crente DESVIADO pertence à classe das virgens LOUCAS.

O DESGARRADO é a ovelha que perdeu o brilho, caiu no desânimo afastando-se do rebanho. Geralmente, a causa disso é devido à falta de oração, a qual não a permite desenvolver raízes no evangelho de Cristo. A consequência disso será afastar-se do rebanho.

Esse afastamento se dá pelo motivo de ele achar que tem coisas mais importantes a fazer do que ficar se preocupando em desenvolver um bom relacionamento com o rebanho e viver a unidade com o corpo de Cristo, a Igreja. Aos poucos vai se desanimando, deixando assim de caminhar com o rebanho, tornando-se uma ovelha doente, fraca, perdida e ferida.

De quem é a culpa? Da igreja? Do pastor da igreja? da liderança da igreja?
Quem quer ser salvo deve lutar pela sua salvação e florescer onde está plantado.

A ordem divina é buscar a ovelha DESGARRADA.

DESVIADO ou DESGARRADO
Qual é o seu problema?


Pr Paulo Barreiros.     

sábado, 1 de setembro de 2018

COMO EVITAR A APOSTASIA


Vivemos a era mais perversa, mais corrupta e mais imunda das gerações cristãs.
Por mais que pareça ser insignificante na vida diária do ser, precisamos lutar sim, contra todos os invasores sorrateiros que nos levam à cegueira espiritual, ao desagrado com o que é espiritual e ao comodismo traiçoeiro que permeia grande parte do povo que se chama pelo nome do Deus Vivo.
Mais que necessário, precisamos voltar às raízes da verdade, ao início de tudo, rever os nossos conceitos e nos encontrarmos com Cristo novamente.
Precisamos:
1)- Buscar a edificação na fé através da Palavra;
2)- Cultivar uma vida de oração no Espírito Santo;
3)- Conservar-nos no amor de Deus;
4)- Apiedar-nos dos fracos na fé;
5)- Andar com discernimento;
6)- Evangelizar sempre;
7)- Apresentarmo-nos irrepreensíveis;
8)- E transferir toda glória àquele que é poderoso para nos guardar de tropeçar.

Ainda há tempo!

Um grande abraço.

Pr Paulo Barreiros.

segunda-feira, 23 de julho de 2018


VISÃO DO REINO DE DEUS – 2ª parte



Vós, servos, sujeitai-vos com todo o temor aos senhores, não somente aos bons e humanos, mas também aos maus.
Porque é coisa agradável, que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, padecendo injustamente.
Porque, que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas se, fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus.
Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas.
O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano.
O qual, quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente;


Creio que vivemos a geração de crentes mais corrompida e mais perversa de todos os tempos. Uma geração de pregadores bígamos e adúlteros. Uma geração que busca seus próprios interesses e abandona os princípios estabelecidos pela aliança revelada pela Graça Salvadora, a qual foi conquistada na Cruz do Calvário.

Falam-se muito em prosperidades financeiras, conquistas de patrimônios, sucessos em meio a sociedade, etc. Porém, vejo que uma grande parte dos pregadores do presente século tem varrido para debaixo do tapete do altar as instruções para entrada e exercícios no Reino de Deus. Ordenanças que não poderiam ser substituídas por nenhum projeto novo, nenhum movimento religioso, mesmo que pareça ser de boa valia para o crescimento da obra. Apesar de que, não há crescimento na obra sem as ferramentas adequadas para tal, cujas ferramentas não poderão ser forjadas, pois já foram preparadas e deixadas a disposição da igreja, preparadas adequadamente para que se faça com perfeição e maturidade. Não são ferramentas de sabedoria humana, mas espirituais. Não serão encontradas nos diplomas de doutorados, nem nos dogmas eclesiásticos, nem na fama articulada do pregador, mas sim, nos lugares celestiais, como é revelado em Efésios 6:14-18 Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos.”

A visão do Reino de Deus nos faz enxergar que Deus procura pessoas dispostas a se entregarem à Vontade Divina, sem restrições e sem reservas, para que sejam por Ele transformadas e capacitadas para se tornarem vasos de honra, e por Ele serem usadas. Essa recomendação foi entregue aos efésios, à qual temos acesso para nossa edificação – Ef. 4:14 = Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.

A visão do Reino de Deus nos faz entender que devemos crescer na Graça Salvadora e no conhecimento da Verdade. 

A presente geração de crentes parece que não deseja ser usada por Deus, não sabe ou negligencia os requisitos necessários para tal. Não sabe, porque não busca. Não busca, porque não tem noção onde encontrar. Não encontra, porque seus guias espirituais não estão preocupados com esses princípios. Parece que eles mesmos já perderam a visão do Reino. Tornaram-se cegos, porque direcionaram seus olhares para o prêmio do presente século. É como disse o apóstolo Paulo aos coríntios: “Não estais estreitados em nós; mas estais estreitados nos vossos próprios afetos”. (2 Co 6:12)

Será que Deus encontrará nesta geração pessoas com a característica necessária para serem por Ele usadas? A quem Ele procura?

A)- Deus procura cristãos esforçados. Josué 1:9 = Não te mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares.

Esta é a geração de crentes que não se esforça para orar e estudar a Bíblia. Parece que a oração e a leitura diária da bíblia são um peso que não pode ser levantado. A falta de comunhão com Deus na oração e na Palavra tem levado muitos a sofrerem de anorexia espiritual.   

B)- Deus procura cristãos dispostos. Atos 4:19-20 = Respondendo, porém, Pedro e João, lhes disseram: Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus; Porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido.

Esta é a geração de crentes que não ouve Deus. O cristão usado por Deus tem que ter os mesmos pensamentos de Paulo, Pedro e demais homens da Bíblia.

Precisamos nos levantar e sair do meio desta geração perversa e corrupta e nos voltarmos para aquele que é Verdadeiro e Santo. Assentarmos à sua mesa e com Ele cearmos, pois é Ele mesmo quem nos convida a tomar essa atitude: Apocalipse 3:20 = Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.

C)- Deus procura cristãos humildes e obedientes. Filipenses 2:5-8 = De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.

Ainda há oportunidade para sermos encontrados por Deus. Se Ele nos procura, então devemos nos colocar à disposição de sua vontade, nos esvaziando de nós mesmos, a fim de sermos achados por Ele na figura de seu próprio Filho.

D)- Deus procura cristãos puros e sinceros. 1 Timóteo 4:12 = Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.

Por fim, precisamos sair do meio dessa geração perversa que tem se contaminado com a porção das iguarias deste século e bebido da bebida da prostituição e impurezas sexuais. Nunca se viu tantas abominações no meio do povo evangélico como nesta presente geração.

Precisamos andar dentro dos princípios que Daniel estabeleceu para si mesmo, cuja lição nos arremete a análise da nossa conduta diária, Daniel 1:8 = E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar.

Se há uma advertência da qual não podemos nos esquecer, é esta: Lucas 13:24 = “Porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão”.

Sendo assim, o cristão, para ser usado por Deus, precisará ter plena e absoluta certeza de que Deus está com ele em todos os momentos, mesmo que venha sofrer perseguição, angústia, perdas, solidão, desamparo, pobreza, tristeza e morte por causa do Reino.

Pedro, certa vez perguntou ao Senhor Jesus o que sucederia aos que decidiram segui-lo, e a resposta do Mestre foi clara e objetiva: “E Jesus, respondendo, disse: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no século futuro a vida eterna”.  (Marcos 10:29,30)

 FINALIZANDO:

Espero ter contribuído o bastante para que os meus leitores possam refletir e posicionarem-se, saindo do meio desta geração perversa e corrupta e se voltarem para satisfazem a vontade daquele que nos chamou e nos arregimentou, como Paulo havia aconselhado ao seu discípulo amado, Timóteo:

2 Timóteo 2:1-4
Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.
E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.
Tu pois, sofre as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.
Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.


O Senhor nosso Deus vos abençoe em Cristo Jesus.

Pr. Paulo Barreiros

sexta-feira, 20 de julho de 2018


VISÃO DO REINO DE DEUS – Parte 1


Mateus: 26:6-13 = E, estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso, aproximou-se dele uma mulher com um vaso de alabastro, com unguento de grande valor, e derramou-lhe sobre a cabeça, quando ele estava assentado à mesa. E os seus discípulos, vendo isto, indignaram-se, dizendo: Por que é este desperdício? Pois, este unguento podia vender-se por grande preço e dar-se o dinheiro aos pobres. Jesus, porém, conhecendo isto, disse-lhes: Por que afligis esta mulher? pois praticou uma boa ação para comigo. Porquanto sempre tendes convosco os pobres, mas a mim não me haveis de ter sempre. Ora, derramando ela este unguento sobre o meu corpo, fê-lo preparando-me para o meu sepultamento. Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for pregado em todo o mundo, também será referido o que ela fez, para memória sua.


Para entendermos bem sobre a visão do Reino, precisamos visualizar a existência de DOIS GRUPOS.
1)- Organizados;
2)- Emotivos.

Quando a mulher se aproximou de Jesus e lhe derramou unguento sobre a cabeça, Ele simplesmente recebeu com satisfação elogiando a atitude dela.

Segundo Ele, ela praticou uma boa ação. Por essa razão, onde quer que o evangelho seja pregado, também será anunciado o que ela fez, para memória dela.

Essa mulher não se preocupou com o valor do unguento, o quanto estaria perdendo ao derramar sobre a cabeça dele. O que lhe incomodava era como fazer algo por ele que ninguém ainda havia feito. Essa atitude revela o valor que alguém pode dar a Ele. Ela usou de atitude para com o mais precioso que possuía, uma prova de que não estava presa a coisas terrenas.

As pessoas que fazem parte do grupo dos ORGANIZADOS são assim, fazem a diferença.

Elas estão sempre fazendo algo novo e agradável ao Senhor; O que as mantém organizadas é a atitude diferenciada que apresentam diariamente, não querem ser repetitivas, não se conformam com o tradicionalismo cristão. Então, buscam suas novas atitudes no anseio mais profundo da alma, a oração contínua. É no lugar da oração que se obtém os mais preciosos desejos para engrandecimento do nome do Senhor Jesus. Alguns se deixam levar tão livremente para o maior de todas as atitudes, o sacrifício da própria vida em favor da glória do Senhor. Eles vão onde ninguém quer ir; se entregam ao sacrifício que ninguém deseja oferecer. Por isso é que disse Jesus: “Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for pregado em todo o mundo, também será referido o que ela fez, para memória sua”. (Mateus 26:13).

As pessoas do grupo dos ORGANIZADOS vivem em estilo de família.

Respeitam uns aos outros; Relacionam-se com maturidade; Alegram-se com a vitória do outro; Caminham juntas, mesmo que as adversidades surjam para impedir; Ajudam-se mutuamente sem interesse próprio; E dão glórias a Deus quando alguém é abençoado por Deus, mesmo que a bênção seja maior a que os demais já receberam.
Essa é a vontade de Deus: Que olhemos para os irmãos como uma família.

Toda família prepara o tempero ao seu próprio gosto.·.

Cada tempero trás a característica do prazer saboroso da família;
Como no Reino de Deus somos uma família, quem prepara o tempero é o SENHOR JESUS. Ele está preparando um bom tempero: Ele quer nos levar a um nível de amor perfeito. Portanto, no grupo dos ORGANIZADOS, o tempero é agradável a nós e a Deus.

Após a atitude da mulher que derramou um vaso cheio de unguento sobre a cabeça de Jesus, Ele teve uma reação contra os comentários que os discípulos fizeram sobre a atitude daquela mulher. Jesus, porém, conhecendo isto, disse-lhes: Por que afligis esta mulher? (Mateus 26:10)

As pessoas do grupo dos EMOTIVOS têm reação contrária às do grupo dos ORGANIZADOS.

As pessoas do grupo dos EMOTIVOS não vivem em estilo de família.

Não respeitam uns aos outros; Não se relacionam com maturidade; Não se alegram com a vitória do outro; Não caminham juntas, mesmo que Deus crie situações para uni-los; Ajudam-se somente por interesse próprio; E não dão glórias a Deus quando alguém é abençoado por Deus, mesmo que a bênção seja bem pequena. Essa não é a vontade de Deus.

Assim como toda família prepara o seu próprio tempero, o grupo dos EMOTIVOS também prepara o seu próprio tempero.·.

Como todo tempero trás a característica do prazer saboroso da família, assim, o tempero dos EMOTIVOS trás o seu próprio sabor, o sabor da desunião fraternal. Como no Reino de Deus somos uma família, quem prepara o tempero do grupo dos EMOTIVOS não é o Senhor Jesus.  O aroma do tempero do grupo dos EMOTIVOS é o cheiro de morte para morte.......Para estes certamente cheiro de morte para morte”...2 Coríntios 2:16ª

Portanto, no grupo dos EMOTIVOS o tempero não é agradável a nós e nem a Deus.

FINALIZANDO:

O plano de Deus é que façamos parte do grupo dos ORGANIZADOS. Pois, desejar entrar no Reino de Deus, todos desejam, mas somente os que pertencem ao Grupo dos Organizados é que conseguem encontrar a Porta: Porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão. (Lucas 13:24)

Efésios 4:11-16 – Nestes versículos veremos Jesus preparando o esqueleto da organização do Grupo dos ORGANIZADOS, os quais compõe o corpo da igreja.

E Ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.
Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,
do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada um, faz o aumento do corpo para sua edificação em amor.

Portanto, não seja omisso em entrar no Reino de Deus: Viva a unidade do Corpo de Cristo. 

Faça parte do Grupo dos Organizados.

O Senhor te abençoe!


quinta-feira, 5 de julho de 2018


AVIVAMENTO


1 João 1:5-7 = “E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhuma. Se dissermos que temos comunhão com ele e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”.

Costumo dizer na igreja que pastoreio que avivamento é ter uma vida comprometida com a Palavra de Deus. É andar diante de Deus e na luz da verdade que temos conhecido.

Não é sentir arrepios, falar em línguas e orar com gritaria, sapatear e cair no chão, como diz o neo pentecostalismo,  e nem tampou derramar lágrimas do emocionalismo. E sim, é andar nos passos da santificação, sem a qual ninguém verá a Deus. Como diz o livro de Provérbios 4:18 =” Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até se tornar dia perfeito”.

O fruto do Espírito Santo, conforme se vê em Gálatas 5:22, é  o principal elemento para quem busca o avivamento, principalmente o fruto do Domínio Próprio. Fazer uso do fruto do Espírito fará com que as trevas que se escondem camufladamente no coração de quem quer amar a Deus, sejam dissipadas, e o verdadeiro amor será gerado e desenvolvido diariamente, fazendo do crente um cidadão com todas as características celestiais.

Quando fazemos uso diário do fruto do Espírito, o mesmo Espírito Santo terá a liberdade para nos moldar à imagem de Cristo, o verdadeiro Filho de Deus, nos tornando assim herdeiros da vida eterna.

SINAIS DE UMA VIDA AVIVADA:

1)- HABILIDADE. Neste princípio, o crente desenvolve a capacidade para admitir quando está errado e confessa publicamente o seu pecado, e não se esconde por detrás de uma capa, como fazia Naamã o leproso. Assim nos aconselha o apóstolo Tiago, no capítulo 5, versículo 16 = “Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”. Isso sim é viver uma vida vitoriosa sobre o pecado.

2)- RESTITUIÇÃO. Esse é um dos maiores sinais do avivamento. Restituir é devolver o penhor; é pagar o devido. Se atentarmos para Zaquel, quanto a restituir o que defraudou, veremos que, após ter ele dito isso, o Senhor Jesus confessou que a salvação havia entrado naquela casa exatamente naquela hora.

Eu ainda não conheci alguém tão desatencioso para com essas coisas como é o crente. Sou pastor há 36 anos, e percebi que apenas a minoria procura andar nos passos da restituição.

Eu cheguei a ter 350 livros, e de tanto emprestar eu perdi aproximadamente 200 livros. O problema maior é que quem pega emprestado acaba se esquecendo de devolver. Isto prova o quanto a maioria está desqualificada para o Reino de Deus. O crente avivado não quer se sentir indignado, ele procura fazer a restituição imediatamente.

Uma vida avivada tem reação honesta e grata quando alguém lhe aponta algum pecado. Ele é grato à exortação. Ele cresce quando isso acontece, pois, ele é de um coração trabalhado e preparado para lidar com o arrependimento.

Uma vida avivada, quando atacada, não usa de contra ataque para se defender fazendo uso de certos versículos isolados da bíblia. Porém, permanece calado e apenas confia no Senhor, pois ele sabe que Deus tudo vê. (2 Crônicas 16:9 = “Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é perfeito para com Ele”...

O crente avivado não aceita glória pessoal. O crente avivado gloria-se no Senhor, pois essa é a sua satisfação, prazer e alegria.

Ele anda nos passos do conselho da Palavra: Isaías 42:8 = “Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei...”. Tiago 4:6 = “Antes, ele dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”.

O verdadeiro avivamento nos levará a uma comunhão sincera com Cristo. Estamos ligados a Cristo através da fé, os nossos pecados cancelados pelo sacrifício vicário na cruz do Calvário. Mas, para a realização da vontade soberana de Deus e pertencer ao exercito de verdadeiros adoradores, é preciso andar nos passos do avivamento.

Vivemos dias em que se valoriza muito o aspecto emocional na vida religiosa. E digo que a emoção é um elo muito frágil para manter alguém ligado a Cristo.

Por isso, o meu conselho é buscar o verdadeiro avivamento. Quando isso acontece, recebemos o poder de nos tornarmos discípulos de Cristo, e assim manteremos uma comunhão sincera e duradoura para com todos. João 15:17 = Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros.

Não seja omisso quanto à verdade. Busque o avivamento e seja feliz.

O SENHOR te abençoe!


terça-feira, 3 de julho de 2018


CONSCIÊNCIA LIMPA

Logo mais à noite ministrarei esse texto na igreja em que pastoreio, e espero que tenham uma leitura edificante e lhes traga à consciência novas atitudes para uma vida plena e feliz.

CONSCIÊNCIA é a faculdade do espírito que condena quando estamos errados e nos apoia quando estamos certos.


(Faça a leitura dos versículos em sua bíblia e acompanhe a leitura).

I Tm 1:19 = Esse versículo nos fala que, se não temos boa consciência ou rejeitamos a mesma, podemos naufragar na fé;

Hb 10:19-22 = Essa passagem em Hebreus diz que, podemos nos aproximar de Deus, tendo certeza na fé. Porém, devendo ter uma consciência limpa e coração purificado;

II Tm 1:3, 5, 6 = Já nessa passagem, entenderemos que o amor procede exclusivamente de uma consciência limpa e coração puro;

I João 1:9 = João nos adverte a purificarmos nossa consciência através da RESTITIÇÃO;

Mt 5:23, 24 = Devemos nos reconciliar com o nosso irmão, pois se Deus não aceita nossas ofertas quando há barreiras entre nós, aceitará Ele o nosso culto, o nosso louvor, ou mesmo a nossa oração?

Lc 19:8 = Zaqueu teve um coração doador ao restituir mais que o dobro.

Quando andamos buscando somente o nosso interesse e não observamos na Palavra a verdadeira conduta cristã, e nela não aperfeiçoamos o nosso procedimento diário, passaremos a desenvolver em nós uma CONSCIÊNCIA CAUTERIZADA.

CONSCIÊNCIA CAUTERIZADA = A consciência cauterizada é mencionada em 1 Timóteo 4:2, onde Paulo fala sobre aqueles cujas consciências foram "cauterizadas" ou tornadas insensíveis, da mesma forma em que a pele de um animal marcado com um ferro em brasa se torna insensível a mais dor. Para os seres humanos, ter a consciência cauterizada é resultado do pecado contínuo e impenitente. Eventualmente, o pecado adormece o senso moral de certo ou errado e o pecador impenitente torna-se insensível aos avisos da consciência que Deus colocou dentro de cada um de nós para nos guiar (Romanos 2:15).

QUANDO ISSO COMEÇA? No momento da salvação, somos purificados do pecado herdado de Adão e de todos os pecados pessoais. Mas à medida que continuamos em nossa caminhada cristã, ainda estamos propensos a pecar.

A)- Quando pecamos, Deus tem nos proporcionado um método de purificação para nos restaurar ao ponto da salvação. "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 João 1:9).

B)- Quando nos permitimos praticar pecados com a nossa mente, estamos extinguindo o Espírito Santo que habita em nós, e somos ordenados a não fazer isso (1 Tessalonicenses 5:19).

C)- Quando continuamos em nossos pecados mentais sem confessá-los e começamos a praticá-los em nossos corpos (Tiago 1:15), entristecemos o Espírito Santo, o que também não devemos fazer (Efésios 4:30).

D)- Quando permanecemos no pecado, as nossas almas começam a desenvolvera consciência moralmente insensível.

E)- Finalmente chegamos a um ponto em que a nossa consciência está cauterizada e é incapaz de nos ajudar a determinar o certo do errado.

F)- É como se um ferro em brasa tivesse sido aplicado à nossa consciência, destruindo-a totalmente.

G)- Pior ainda, podemos chegar ao lugar onde não mais nos importamos com o quanto pecamos. Isto é o que se entende em 1 Timóteo 4:2, onde Paulo se refere a falsos mestres: "pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência." 

Podemos facilmente ver isso como pura maldade. Um serial killer , por exemplo, teve sua consciência cauterizada e já não mais funciona para orientá-lo no que é certo e errado.

PARA MANTER UMA CONSCIÊNCIA LIMPA É PRECISO TOMAR CUIDADO:

Precisamos agir cuidadosamente das seguintes formas:

1)- Ter cuidado para não insistir no erro = Pecado depois de praticado muitas vezes, se tornará um hábito. Nesse caso, a consciência não acusará mais. Consciência que não nos acusa não é uma boa consciência.

2)- Ter cuidado com a fuga = A fuga é o meio mais fácil e utilizado pela consciência pesada. Se erramos, devemos consertar esse erro o mais rápido possível e nunca deixar pra depois. Caso contrário, poderá desenvolver uma má consciência.

3)- Ter cuidado com a compensação = Em vez de encarar o problema, a má consciência faz com que o indivíduo enche a vida de atividades. Quando alguém tem uma vida super ativa, tanto no trabalho quanto na igreja, não quer dizer que esteja tudo bem. A consciência pesada tende a levar a pessoa a buscar atividades para compensar o peso. Se não houver mudança de atitude, essa “super atividade” vai levar essa pessoa a desenvolver uma consciência cauterizada.

4)- Ter cuidado com a insegurança = A insegurança é sinal de que algo está errado na vida pessoal. Se o erro não for reparado, a insegurança irá desenvolver o Auto Engano.

OBSERVAÇÃO: Freud, para minimizar a dor, ele recomenda que o homem deve fazer tudo aquilo que vier a sentir. Ex: Sexo fora do status familiar; explosão emocional; etc... Essas normas ainda são encaradas como forma de cura por muitos especialistas na área emocional. Esse tipo de conselho de especialistas fere os princípios da Palavra de Deus, e não conduz à uma consciência limpa.

A ÚNICA FORMA DE CURA É DESENVOLVER UMA CONSCIÊNCIA LIMPA.

Deus quer restabelecer nossa consciência. Ele quer que tenhamos uma consciência limpa tão sensível quanto a de uma criança.

1)- Somente através de uma consciência limpa é que poderemos gozar a verdadeira alegria interior. Essa alegria é a paz de espírito que resulta em ter feito os acertos dos erros pessoais com aqueles a quem ofendemos. (I Jo 1:9 = Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça). E também em Tiago 5:16 = Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados...

2)- Para o apóstolo Paulo, era importante ter uma consciência limpa, tanto para Deus quanto para nós. (Atos 24:16 = E por isso procuro sempre ter uma consciência sem ofensa, tanto para com Deus como para com os homens).

E finalizando, quero deixar aqui 3 frases de pessoas de consciência limpa costumam usar:

A)- “Tenho medo de decepcionar as pessoas, de magoá-las, de fazê-las cansarem de mim”.

B)- “Se todos ao meu redor estão fazendo o errado e eu o único que está fazendo o que é certo, continuarei fazendo o que é certo. Pois, consciência limpa é a melhor recompensa”.

C)- “Eu aprendi a ficar tranquilo, sabe? Porque minha consciência tá cheirosa de tão limpa! E Deus me conhece de verdade. Deus sabe o que faço e o que não faço, e o importante é que ELE saiba, o resto é resto”.



Obrigado pela visita. E espero que a leitura tenha sido de grande valia para sua vida. 
Saiba porém que, sem Deus e sua Palvra, não é possível cultivar uma VIDA de PAZ consigo mesmo.

Felicidades!